Em nosso trabalho aqui na Animalle, frequentemente nos deparamos com problemas que nossos clientes não conseguem resolver. Em um mercado tão saturado em vários setores, o atendimento tem sido o diferencial na escolha dos clientes, porém, isso tem representado um enorme desafio para as empresas, afinal, como destacar meu atendimento se meu concorrente também investe nisso? Essa pergunta ecoa pelos corredores e retorna sem resposta.

A solução para isso, não é fácil e também não se trata de soluções milagrosas como “trago seu cliente em 7 dias”. Resolver isso passa por desenvolver uma relação de proximidade e identificação entre o cliente e a empresa.

Aqui voltamos ao título desta matéria que você lê. O personagem é a alma do negócio e algumas empresas já perceberam isso. Já no século XIX, a Michelin criou o Bibendum, personagem que é o mascote da marca, atravessou os séculos e a representa até os dias atuais. Foi eleito pelo jornal The Financial Times e pela revista Report On Business como o melhor logotipo do mundo. Empresas de diversos setores investiram nisso e colhem seus frutos.

Um exemplo recente que temos é a Magazine Luiza e sua personagem “Lu”. Os personagens tem a função de aproximar o cliente da empresa e a Lu fez isso como ninguém. Em uma ação de marketing para o dia dos namorados, a Lu foi inserida em um aplicativo de relacionamento, colecionando curtidas e comentários nas redes sociais e aumentando expressivamente as vendas da empresa. Segundo a Magazine Luiza, a Lu foi responsável por um aumento de 56% das vendas online da marca.

Lu em ação do dia dos namorados.

Um outro caso é a Assolan e seu mascote Assolino. Na época o mercado de esponjas de aço no Brasil era dominado pela BomBril. A Assolan era pouco conhecida, o que mudou com o nascimento do mascote. Com seu gingado nas músicas do momento, o Assolino conquistou o Brasil e a marca saiu de 9.5% de participação de mercado para quase 28% em menos de dois anos.

Esses casos não são isolados. Empresas como Sadia, MCDonald’s, Cheetos e Duracel utilizaram seus mascotes para ganhar mercado e a confiança dos clientes e isso prova os resultados de humanizar a marca através de mascotes.

A evolução tecnológica e a popularização das mídias sociais, levaram as empresas a estreitar seus laços com seus clientes. Onde antes o canal de comunicação entre empresa e público era restrito, hoje é bem mais aberto e dasafiador. Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat e WhatsApp, têm sido explorados como nunca para melhorar a relação entre empresa e cliente, com postagens diárias, gifs animados, vídeos e com tudo o que as redes trouxeram de recursos, estamos presenciando uma verdadeira corrida pela atenção do público.

E a sua empresa, como se relaciona com seus clientes?

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/marketing/10-mascotes-que-ajudaram-a-popularizar-as-marcas/

https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2017/08/14/magazine-luiza-usa-tinder-pra-ampliar-vendas-e-tem-alta-de-2000.htm