REALIDADE VIRTUAL EM FESTIVAIS

Como produtores de conteúdo imersivo em Realidade Virtual, nós da Animalle buscamos sempre compartilhar das experiências que são produzidas pelo mundo afora.

Por isso, esta semana trazemos possibilidades do uso da Realidade Virtual nas áreas de entretenimento e das artes interativas.

Em dois dos maiores festivais do Brasil, vídeos e experiências em VR tiveram espaço considerável para os usuários.

Em sua 27ª edição, o maior festival de animação da América Latina, Anima Mundi, teve mais de 1800 filmes inscritos de mais de 40 países. 

O Espaço VR Anima Mundi traz diversos temas e artistas brasileiros e de outras partes do mundo. São experiências imersivas para explorar histórias criativas.

Apesar de esta ter sido a segunda edição do Espaço VR, apenas neste ano é que começaram a dar o prêmio para o melhor filme em VR, selecionado por júri profissional. 

O primeiro premiado em Realidade Virtual do Anima Mundi foi a quarta parte da série de curtas Arden’s Wake. O filme foi também o vencedor no Festival de Cinema de Veneza:

Já o FILE Festival, Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, tem trazido há alguns anos jogos e experiências em Realidade Virtual como, por exemplo, a viagem para dentro das obras de Van Gogh, na edição de 2015.

Para esta 20ª edição, não faltaram projetos imersivos para os visitantes.

Um deles é a instalação Scope, da artista Kristin McWharter. Nela, dois participantes interagem através dos óculos de VR e interferem da visão do outro.

O curta-metragem Melita de 20 minutos, do artista Nicolás Alcalá, trás Realidade Virtual e Inteligência Artificial para tratar das mudanças climáticas e o futuro do Planeta.